The Política

Bolsonaro diz que vai vetar jogos: “não são bem-vindos no Brasil”

Nesta segunda-feira (17), em entrevista para a rádio Viva FM, do Espírito Santo, Jair Bolsonaro (PL) voltou a afirmar que deve vetar o Projeto de Lei que regulamenta o jogo do bicho e outros jogos de azar no país. 

De acordo com Bolsonaro, os jogos de azar “não são bem-vindos no Brasil”. Apesar de ter afirmado que irá vetar a iniciativa, ele ainda pode ter o resultado derrubado no Congresso.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP) pretende pautar o projeto da legalização a partir de fevereiro, com a volta fo recesso parlamentar.

Vale lembrar que em dezembro, os deputados aprovaram um requerimento de urgência para a tramitação do projeto no plenário da Casa. Foram 293 votos a favor, 138 contra e 11 abstenções.

“Os jogos de azar não são bem-vindos no Brasil. Alguns falam que no começo seriam os grandes casinos, não estaria aberto às pessoas mais humildes mas é uma porteira que se abre e não saberemos o que pode passar por ela”, afirmou Bolsonaro.

Este é um post da coluna O Direitista. Caso queira, clique aqui para ler a coluna O Esquerdista

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
O Direitista

Comentários

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bruno da Silva

Quando vamos ficar livre dese engodo Genocida. MORO PRESIDENTE.

Daniel Mendes

Vai estudar primeiro, e entender o que é genocídio, ele é um político corrupto como todos os outros. Mas chamar o cara de genocida é burrice. Vai estudar primeiro e se informar.

CLODOALDO

Primeiro concordo com o veto, pois não temos essa necessidade. Segundo concordo que esse Presidente é um incompetente e falso – além de não conseguir tratar dos assuntos da saúde, economia, meio ambiente, entre outros, se aliou ao Centrão – aquele que tanto atacavam. Criticavam Lula e seus filhos, agora defendem seus filhos e suas falcatruas. Lógico que nesse Governo não tem corrupção, aparelhou a PF, a Procuradoria Geral da Republica é omissa e não se tem mais investigação. FORA BOLSONARO E SUA CORJA.