The Política

Mulher e filho de Bolsonaro estão brigando internamente

Primeira Dama e filho mais velho do presidente estão brigando por escolhido no STF.

A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, fez discurso em Libras (Língua Brasileira de Sinais), no parlatório do Palácio do Planalto durante solenidade de posse do marido, presidente Jair Bolsonaro.

Não é só o meio jurídico que está interessado em quem irá substituir Marco Aurélio de Mello quando ele se aposentar do Supremo Tribunal Federal. Na família de Jair Bolsonaro (sem partido), os filhos já estão disputando sobre quem irá influenciar o pai na decisão.

A esposa de Bolsonaro, Michele, estaria fazendo campanha pelo advogado-geral da União, André Mendonça, pelo qual tem verdadeira adoração. Já Flávio Bolsonaro (Republicanos), tenta convencer o pai a nomear para a vaga o presidente do STJ (Supremo Tribunal de Justiça), Humberto Martins.

Bolsonaro revelou a dois de seus ministros que ainda não tomou nenhuma decisão, mas que estaria em dúvida entre um desses dois. No entanto, um aspecto já estaria definido: a vaga será necessariamente ocupada por um evangélico, mesmo que ele descarte os dois favoritos no futuro.

A escolha de decidir por alguém religioso seria influência direta da primeira dama, que vem batendo nesta tecla com frequência.

Embora Martins e Mendonça estejam na frente na corrida pela vaga, o presidente pode mudar de ideia e escolher por outra pessoa até julho. Na vaga aberta na Corte no ano passado, Mendonça era o favorito para ocupar o cargo. No entanto, pegando todos de surpresa, Bolsonaro escolheu o desembargador Kassio Nunes Marques.

Nunes Marques conheceu o político em 2018. Ele visitou o então candidato à presidência após o atentado sofrido durante a campanha eleitoral. Desde então, os dois não perderam contato.

Em março deste ano, André Mendonça foi retirado do Ministério da Justiça e mandado de volta para a AGU (Advocacia-Geral da União). Bolsonaro não chegou a prometer para ele nenhum cargo, mas afirmou que a vaga do STF estaria aberta. Já para Martins, o presidente não chegou a falar nada.

Este é um post da coluna O Direitista. Caso queira, clique aqui para ler a coluna O Esquerdista

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
O Direitista