The Política

Filho de Bolsonaro quer mais gente morta por dengue em BH

O filho do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Eduardo Bolsonaro (PSL), não está satisfeito com a baixa mortalidade por dengue em Belo Horizonte. Para ele, mais pessoas deveriam ter morrido pela doença.

Foi o que ele mostrou ao postar no Twitter uma montagem com duas matérias do jornal Estado de Minas. A primeira mostra que em 2020 apenas uma morte foi confirmada na capital por dengue.

A outra mostra que, pelo menos até o momento, ninguém morreu da doença em 2021.

“Belo Horizonte-MG: 2.700.000 habitantes. Com estes números de mortes por dengue só me resta parabenizar a prefeitura de BH (ironia) Símbolo de aplausos. O golpe está aí, cai quem quer”, escreveu ele.

Para Eduardo, o número é muito baixo. Logo, o número de mortos deveria ser maior.

O que diz o Ministério da Saúde?

O mais recente boletim epidemiológico divulgado pelo Governo Federal, através do Ministério da Saúde, mostra que até o momento foram registrados 30 óbitos por dengue no Brasil em 2021 (veja o documento aqui).

“Até o momento, foram confirmados 30 óbitos por dengue, sendo 28 por critério laboratorial: Rondônia (1), Acre (2), Pará (1), Tocantins (1), Bahia (2), São Paulo (9), Paraná (6), Mato Grosso do Sul (2), Mato Grosso (3), Goiás (1) e dois por clínico-epidemiológico – Amazonas (1) e Ceará (1). Permanecem em investigação 18 óbitos. Nenhum óbito foi confirmado até o momento para
chikungunya e zika”.

O deputado esqueceu de parabenizar o governador de MG, Romeu Zema (Novo), já que assim como a capital, o estado não registrou nenhuma morte por dengue em 2021.

Também ‘só lhe restaria parabenizar’ ao Governo Federal pela queda de 73% no número de casos no país (ironia).

Este é um post da coluna O Esquerdista. Caso queira, clique aqui para ler a coluna O Direitista

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Categorias:
O Esquerdista

Comentários